Um estudo sobre a Computação Forense – Parte 2

Este artigo faz parte de uma série onde estamos falando sobre a pericia computacional forense, se quiser ler os outros artigos, os links estarão disponíveis no final.

Em resumo, no artigo anterior foi falado sobre o que é o perito forense na área de TI, qual a sua importância e o porque é uma área que ainda que seja pouco conhecida, esta atualmente em acensão no Brasil. Então vamos para a segunda parte e ótima leitura.

Perito Criminal

O perito forense na área computacional ou o que chamamos de perito criminal é mais conhecido por trabalhar com a polícia em investigações criminais, na obtenção de provas de como tais crimes que estão sendo investigados foram ou podem ter sido cometidos, este profissional é concursado da polícia, é um funcionário público, mas não é policial. Porém não é só como perito criminal que o forense computacional trabalha, existem mais outras três áreas que ele pode atuar.

Perito Judicial

O perito judicial é onde ele atua como um profissional liberal, ele é nomeado pelo juiz, mas para isso precisa estar habilitado no site do tribunal de justiça e exerce um cargo de confiança, esta função é de analista do juiz perante as provas do atual caso, isto o ajuda, no caso o perito judicial ajuda o juiz, a entender melhor as provas do caso para que assim ele poça tomar uma melhor decisão.

Assistente Técnico

O Assistente técnico é outra área exercida pelo perito forense computacional. Ele atua como auxiliar técnico perante o perito judicial. Este profissional é convocado pelas partes, ou seja, pelos advogados a auxilia-los na análise das provas, por exemplo, esclarecendo termos mais técnicos apresentados pelas provas criminais. Diante das provas apresentadas pela polícia e da análise do perito judicial, é dever do assistente técnico analisa-las verificando sua veracidade e autenticidade apresentando objeções e novas interpretações diante do caso.

Perito Extrajudicial

Por último e não menos importante é o perito extrajudicial ou investigador. Ele atua fora do campo jurídico. Em casos por exemplo de demissão de funcionário, haveres de herança, entre outros, são situações onde a presença do poder jurídico não é requerida, ou seja, o perito extrajudicial atua por uma necessidade de umas ou ambas as partes diante de por exemplo um dos casos citados acima.

Um estudo sobre a Computação Forense – Parte 1

Um estudo sobre a Computação Forense – Parte 3

Um estudo sobre a Computação Forense – Parte 4

Um estudo sobre a Computação Forense – Parte 5

Um estudo sobre a Computação Forense – Parte 6

Um estudo sobre a Computação Forense – Final

Junte-se a nós e esteja sempre atualizado com as últimas novidades e dicas