1 – Escassez

É comum ouvir alguém dizer que precisou perder pra dar
valor, especialmente o que se diz respeito a relacionamentos
afetivos. Acredite! A mesma lógica funciona para os negócios.
As pessoas costumam dar mais valor aquilo que é escasso.
Isso porque o inconsciente coletivo associa que quanto mais
difícil for conseguir um determinado objeto de desejo, mas
raro e valioso ele é.

Além disso, já é comprovado através de estudos, que o
sentimento de perda é muito mais forte que o sentimento de
ganho, sendo 1 vez e meia ou 2 vezes e meia maior. E é fácil
entender isso! Você prefere ganhar um desconto de R$5,00
ou evitar um pagamento adicional de R$5,00?

Se você é como a maioria das pessoas, você prefere evitar um
pagamento adicional de R$5,00, mas receber um desconto de
R$5,00 não iria te trazer o mesmo resultado?

Sim! Embora em ambas situações você economizasse R$5,00,
na primeira você tem uma sensação positiva pois você
ganhou um desconto. E na segunda, uma sensação negativa,
você evitou um pagamento adicional. As palavras são
poderosas e quando usadas para reforçar um gatilho mental,
ela se tornam extremamente persuasivas.
Esse é um gatilho muito poderoso quando usado com
integridade

2 – Urgência

O gatilho mental da urgência é muito parecido com o da
escassez, mas ele está ligado ao fator tempo, pois o produto
ou serviço tem um prazo limite para ser adquirido. É um
gatilho muito efetivo porque uma das piores sensações para o
ser humano é a impossibilidade de escolher. Depois que o
prazo acabar a única escolha da pessoa será ficar sem aquele
produto ou serviço.

Como odiamos nos sentir impotentes, agimos o mais rápido
possível. Afinal, adquirir um produto e se arrepender é menos
pior do que viver com a dúvida da diferença que aquilo faria
na sua vida.

O site de compras coletivas Groupon, ele disponibiliza ofertas
aos visitantes com tempo definido. Ver a mudança nos
horários, principalmente nos últimos minutos, faz com que a
sensação de perder uma oportunidade seja eminente,
causando ansiedade ao visitante.
Se baseando no gatilho da urgência, sites de ofertas coletivas
e leilões ganharam uma grande força na internet.

3 – Reciprocidade

O gatilho da reciprocidade é um dos mais importantes e
também a base do inbound marketing, isso porque temos
uma tendência natural de querer retribuir aquilo ou aquele
que nos gera valor de alguma forma.

Por isso que suas ações devem objetivar primeiramente em
tornar a vida das pessoas mais simples e depois gerar algum
tipo de lucro para você, não o contrário, pois as pessoas
sentem isso. Não existe nada mais gratificante do que ver
pessoas sendo gentis e ajudando as outras sem intenção
nenhuma de serem recompensadas.

Não faça as coisas esperando as recompensas, mas a vida
sempre trata de retribuir as boas ações!

4 – Prova Social

Temos a necessidade de pertencer a grupos que nos
identifique como indivíduos.

Dessa forma, a prova social é um gatilho muito poderoso.
Exemplo: Se você tivesse que escolher entre um restaurante
bem mais cheio, com uma fila de espera enorme e um outro
restaurante vazio, qual você escolheria? Por mais que as
pessoas não gostem de esperar, elas preferem não se
decepcionar.

Logo pensamos: – Se o restaurante está cheio é porque é bom!
E vice e versa.

A conclusão é que independente do motivo, quanto mais
pessoas optam por uma determinada opção, mais a gente é
influenciado a tomar uma atitude.

5 – Porque

Por mais que as nossas decisões sejam tomadas no âmbito do
inconsciente, nossa mente sempre procura por respostas
racionais para justificar nossas ações. Mesmo em situações
que não há nenhuma explicação inerente, nosso cérebro
busca algum significado.

Busque sempre justificar o que você está fazendo, quanto
mais verdadeiro e genuíno for o seu argumento, maiores
serão as chances do seu público confiar em você.

6 – Antecipação

Quando você vai ao cinema e assiste a um trayler empolgante
que mexe com suas emoções, você fica ansioso pela estreia
do filme. Esse é o gatilho da antecipação.

Sem dúvida um gatilho muito poderoso, pois ele meche com
nossa expectativa em relação ao futuro.

Algumas pesquisas indicam que projetar um futuro e
apresentar as pessoas, ativa uma parte do cérebro que está
ligado a felicidade

7 – Referência

Geralmente nos baseamos em um parâmetro já estabelecido
para poder chegar a uma conclusão. Isso acontece pois é
comum nos concentrarmos na vantagem relativa das coisas.
Por exemplo: quando você era criança fazia uma prova no
colégio e tirava 7, isso era bom ou era ruim? Depende! Se a
média da turma for 4, então sim! Você foi muito bem! Mas se
a maioria tiver um 9 ou 10, então você foi mau! Apesar de 7
ser uma nota razoável

É por isso que o gatilho mental da referência funciona, pois
grande parte das nossas decisões são tomadas com base nas
experiências anteriores que tivemos.